quinta-feira, 23 de março de 2017

SÁBADO TEM TRAILER DELES




Chá das Cinco #49 - O que achamos do teaser de Death Note Netflix

"Ih, lá vem esses caras falar mal"... Calma, não é isso, ainda é cedo pra dizer algo, mas não podíamos (Renato e Eddie) deixar passar em branco os comentários desse teaser da adaptação do anime Death Note para um filme da Netflix.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Chá das Cinco #48 - Dica de livro: "Anardeus - No calor da destruição"

Dany Fernandez do www.baratoliterario.com.br traz mais uma novidade nacional: "Anardeus - No calor da destruição" de Walter Tierno. 
A trama traz um anti–herói incomum e, por isso mesmo, tão interessante. O mundo não deseja Anardeus. Anardeus não deseja o mundo. Mas terão que viver juntos até o final apocalíptico e perturbador.

terça-feira, 21 de março de 2017

Chá das Cinco #47 - Dica de quadrinhos: "Guerra Civil II" e o mundo de hoje

A dica do JM é a minissérie Guerra Civil II onde os heróis Marvel se dividem em mais uma questão que também causa polêmica no mundo real. Confira aí nosso bate-papo com Ricky Nobre, Patricia Balan e Renato Rodrigues

segunda-feira, 20 de março de 2017

Chá das Cinco #46 - Cinema em casa é o futuro?

Você hoje prefere ver FILMES em casa ou no cinema? Respondendo a pergunta que não quer calar estão Ricky Nobre, JM, Patrícia Balan e Renato Rodrigues. E aí, a Netflix vai garfar o cinema assim como está almoçando as TVs à cabo?

domingo, 19 de março de 2017

VLOG Alcateia #100 - Os 40 anos do Sítio do Picapau Amarelo na Globo

Neste Vlog muito especial (Número 100!!!) fazemos uma homenagem ao programa que marcou nossa geração, o Sítio, que estreou na Globo em 7 de março de 1977 ficando 9 anos no ar.

Os textos dessa saudosa versão foram escritos por nomes de peso da teledramaturgia, como: Wilson Rocha, Marcos Rey, Sylvan Paezzo e Benedito Ruy Barbosa sob a direção geral de Geraldo Casé.

Comentando as curiosidades, os livros, a trilha famosa e até as polêmicas da época estão Renato Rodrigues, Eddie Van Feu, JM, Patrícia Balan e Ricky Nobre

sexta-feira, 17 de março de 2017

Chá das Cinco #45 - Dica de filme de terror: Água Negra

Eddie Van Feu dá hoje mais uma dica macabra de filme: Água Negra de 2005 dirigido pelo brazuca Walter Salles. Quem já teve vazamento em casa vai se identificar!!!!

PUNHO DE FERRO NO AR



por Renato Rodrigues
Vi hoje o piloto do Punhos de Ferro na Netflix e gostei (a repercussão negativa funcionou pois se não fosse a curiosidade de ver que merda fizeram eu não teria visto hoje de cara).
Enfim, trailer e piloto de série sempre enganam, então vamos ver o que vem por aí.
Por enquanto um bom começo.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Chá das Cinco #44 - Qual personagem DC daria um bom filme "pesadão"?

Num exercício de "chutação" nós escolhemos quais personagens da DC se encaixariam num estilo Rated R (Como Logan e Deadpool), um filme mais adulto ou violento e sem as amarras da censura que a classificação indicativa impõe. Entenderam, né?

Casa cheia hoje com os proibidões: Renato Rodrigues, Eddie Van Feu, JM, Patrícia Balan, Ricky Nobre, Carlos Tavares e Antero Leivas.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Chá das Cinco #43 - Resenha do livro "Os Filhos de Anansi"

Dany Fernandez do www.baratoliterario.com.br traz o Neil Gaiman para tomar um chá conosco. "Os Filhos de Anansi" é um livro de fantasia e chegou em 2006 no Brasil pela Conrad.

Prêmios: Prêmio Locus de Melhor Romance de Fantasia, August Derleth Award, Mythopoeic Fantasy Award for Adult Literature

terça-feira, 14 de março de 2017

POSSÍVEL NOVA DIREÇÃO (em todos os sentidos) PARA O SUPERMAN



por Renato Rodrigues
Notinha rápida pois esse notícia não está ainda confirmada: Fortes chances boatadas por aí de Matthew Vaughn (Kick-Ass, X-Men: Primeira Classe, Kingsman) assumir o Homem de Aço 2.

Bom, enquanto o noivado não é oficializado, Vaughn declarou que gosta muito do personagem a ponto de considerar aceitar a proposta. Gozado é que num vlog aqui do ALCATEIA a Patrícia Balan indicou esse diretor para assumir na vaga do Ben Affleck (que saiu da direção do Batman). Bateu na trave mas ainda pode entrar de outro jeito, Paty!

E abaixo uma declaração que Matthew Vaughn deu sobre o azulão:
"Eu acho que aquela forma de fazer o Superman é justamente a que não deve ser feita, esta versão séria no estilo de Cavaleiro das Trevas. Superman é sobre coisas boas, diversão. Pra mim é."
E aí? O que dizer sobre esse cara que eu não conheço mas já considero pacas?
De novo:
"Eu acho que aquela forma de fazer o Superman é justamente a que NÃO DEVE SER FEITA."
De novo:
"EU ACHO QUE AQUELA FORMA DE FAZER O SUPERMAN É JUSTAMENTE A QUE NÃO DEVE SER FEITA."
Mais uma vez, fala aí, cara:
"EU ACHO QUE AQUELA FORMA DE FAZER O SUPERMAN É JUSTAMENTE A QUE NÃO DEVE SER FEITA."
Pois é... Mas eu te disse, mas eu te disse!!!!
Por enquanto é aguardar para ver se o Superman será finalmente feliz!

Chá das Cinco #42 - Filmes da DC de olho no público "adultão"?

“Segundo fonte bem posicionada dentro da DC Films, o estúdio está aberto a fazer um filme com classificação indicativa alta.” Em cima dessa declaração (que pode ser o maior caô, boatão mesmo!) nós especulamos se a "leveza ou não" da trama é mesmo o maior problema da DC.
Boateiros de plantão: Renato Rodrigues, JM, Patrícia Balan e Ricky Nobre

segunda-feira, 13 de março de 2017

Chá das Cinco #41 - Dica de série: Santa Clarita Diet

Recomendamos nova série de humor-negro da Netflix com Drew Barrymore morta viva! Presentes hoje os zumbis JM, Eddie, Renato e Patricia.

O TRAILER QUE ANIMOU O DOMINGÃO!




Mulher Maravilha tem estreia agendada para o dia 2 de junho de 2017 nos Estados Unidos, com direção de Patty Jenkins (Monster: Desejo Assassino).

domingo, 12 de março de 2017

VLOG Alcateia #99 - Balanço: Marvel na Netflix

Na sexta, dia 17 estréia a série do PUNHOS DE FERRO. Sendo assim, fizemos um balanço das séries da Marvel (Demolidor, Jessica Jones e Luke Cage) opinando sobre o que deu certo e errado até agora.

E ainda debatemos a quizumba (mesmo antes de estrear) que os episódios do Punhos de Ferro deram com os críticos descendo a lenha na trama. Rapááá... Defensores presentes: Renato Rodrigues, Eddie Van Feu, JM, Patrícia Balan e Ricky Nobre.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Chá das Cinco #39 - Melhores e Piores traduções de seriados

Abrimos o baú para relembrar os nomes mais figuras que a TV já inventou para adaptar seriados e desenhos aqui no Brasil. Alguns você nem deve lembrar! Hoje na casa, uma turma do barulho: Renato Rodrigues, Eddie Van Feu, JM e Patrícia Balan muito loucos

BATE-PAPO E SESSÃO DE AUTÓGRAFOS COM OTA EM SP


por Renato Rodrigues
Atenção fãs da MAD, eu sei que vocês estão por aí!!! O cartunista Ota estará na livraria paulistana Ugra (Rua Augusta, 1371 – Loja 116) neste sábado, 11 de março, das 15h às 19h, para bater um papo sobre sua trajetória e para autografar seu mais recente gibi, A Garota Bipolar # 1: O Início de Tudo.

O título reúne, em 44 páginas, as primeiras 80 tiras originalmente compartilhadas nas redes sociais. A Garota Bipolar estreou na rede em 2015. Otacílio d’Assunção está nas pranchetas desde os anos 70 ficando mais de 30 anos à frente da revista Mad brasileira, na qual criou os célebres Relatórios Ota.

Conheça aqui sua página no Face (Vocês ainda usam Facebook, né? Se eu pudesse ainda usava o Orkut)

Ó nóis aqui recebendo ele em casa em 2016

quarta-feira, 8 de março de 2017

Chá das Cinco #38 - Resenha do livro "A Rainha Sombria"

Nossa convidada Dany Fernandez do www.baratoliterario.com.br traz um livro de uma amiga nossa desde os tempos do Kodama DF: "A Rainha Sombria" de Vivianne Fair.

Junte-se a nós nessa leitura.


Conheça aqui o site da autora: www.recantodachefa.com.br

FELIZ DIA DAS MUIÉ


FALCON VOLTARÁ?


por Renato Rodrigues
NÃO ACREDITO!!! O brinquedo preferido de 10 entre 10 moleques dos anos 70/80 fará uma INTERVENÇÃO MILITAR nas prateleiras. O Sr. Aires Fernandes, Diretor de Marketing da Estrela, confirmou ao site "Galeria dos Brinquedos" que o Falcon terá não só um, mas dois ou três modelos lançados em 2017 para comemorar os 80 anos da Estrela.

EU TENHO QUE JUNTAR GRANA pra garantir pelo menos um! Claro que os meus se foram todos com o tempo graças as articulações de borracha que sempre arrebentavam.

E espero que não resolvam atualizar o nosso GI JOE brazuca com algo metrossexual tipo "Max Steel" e nem apareçam com modelos "lenhador urbano de rabinho de cavalo". Tem que vir com aquela cara de "estivador mermo" com cabelo brabo e meio vesgão.



Pesquisando descobri que a última versão do boneco foi em 2000, com o nome de "Força de Ataque" (O nome Falcon não vinha na caixa). Aliás, é gozado imaginar que tipo de lógica usaram quando "traduziram" GI-JOE para FALCON (Falcão em inglês, kkk).

 

Eu tive um mergulhador desse (cor de abóbora) que vinha com o tubarão!

terça-feira, 7 de março de 2017

Chá das Cinco #37 - Qual Super-Herói merece uma série na TV?

Qual personagem de quadrinhos ainda não teve sua chance de brilhar na telinha? Presentes hoje na sala da justiça Renato Rodrigues, Eddie Van Feu, JM, Patrícia Balan e Ricky Nobre

WOLVERINE IN BRAZIL

Se tiver paciência de aturar o apresentador. curta aê a entrevista:

segunda-feira, 6 de março de 2017

Chá das Cinco #36 - Velho Logan: Os Quadrinhos que Inspiraram o Filme

Gabriel Maia fala um pouco sobre os quadrinhos que inspiraram o fenômeno (merecido) de bilheteria deste início de ano: LOGAN.

Old Man Logan (no original) conta um futuro alternativo do Wolverine. Escrito por Mark Millar e ilustrado por Steve McNiven e lançado entre 2008 e 2009 pela Marvel.

 

ZUMBIS MARVEL - Parte 4



Por Gabriel Maia
Reunião na Marvel; “Como sangrar mais aquela história de zumbis? Acho que já tiramos tudo o que podíamos dela, mas... droga ela fez sucesso antes, porque não faz mais? Será que conseguimos tirar mais um capítulo dela?”.
E aí resolveram falar dos zumbis que devoraram Galactus e sumiram.


A história começa com eles conversando em pleno espaço (sim, eles não manjam de roteiro e nem de ciência) sobre terem devorado tudo o que havia no universo. Eles tinham agora novos membros como o Gladiador do império Shiar, a Fênix e Thanos.
Foi quando resolveram voltar à Terra e usar o teleportador de Richards (ué, mas o Magneto não destruiu? Destruiu... dá pra entender o nível da coisa?) para irem devorar outros mundos.
Na Terra haviam se passado algumas décadas. O Pantera negra reinava em uma tribo próspera, mas com seus dias contados pelo número reduzido de pessoas e impossibilidade de variação genética para continuar uma espécie. E ainda contavam com seu próprio grupo de revolucionários que queriam destronar o rei. Uma gracinha!
Neste tempo de paz os sobreviventes encontraram as cabeças do Gavião Arqueiro e da Vespa, assim como o cérebro do Coronel América, fizeram corpos novos para eles e os tiveram ao seu lado como aliados de novo.


A tentativa de regicídio falha com o Pantera idoso, gravemente ferido, matando o seu assassino. Diante do iminente fim de seu rei, a Vespa o morde para que ele sobreviva como zumbi.
Os zumbis voltam ao planeta e encontram um povoado pronto a ser devorado. Ao encontrar novas vítimas o Gigante tem uma ideia, em vez de devorar essa galera, porque não fazer um criadouro de gente como faziam com gado e ter comida pra sempre?
Mas essa ideia fez ressurgir o herói no Homem-Aranha que se revolta e vai para o lado dos humanos, assim como Luke Cage.

Aí temos inicio ao primeiro round de uma briga entre zumbis, quando os zumbis do bem (vou usar esse termo mesmo) erguem o campo de força em torno da aldeia e os zumbis do mal vão para o edifício Baxter atrás do teleportador para irem para outro universo.
O problema é que o teleportador estava lá na aldeia, levaram para tentar fazer funcionar e irem para outro mundo, mas eles não entendiam porque nunca dava certo apesar dos anos tentando consertá-lo.
Os zumbis do mal voltam à aldeia e o Pantera faz uma proposta, eles entregam o teleportador e os zumbis do mal não devoram ninguém da aldeia.
Trato feito e são os zumbis do bem que traem o trato partindo para o segundo round, e acabam levando uma surra.
O Gigante está prestes a devorar um dos sobreviventes quando percebe que a fome passou. A fome finalmente passou. O Homem de ferro também nota isso e neste curto espaço os heróis tem tempo de pensar em seus atos e desejarem mudar de vida, e eis que surge o incrível Hulk zumbi querendo devorar todo mundo.


A galera se une contra o Hulk, que sai detonando todo mundo que vê pela frente, e por fim um dos sobreviventes se sacrifica como refeição do gigante esmeralda, e quando o Hulk sacia sua fome ele se transforma em Banner, sendo um alvo fácil dos outros que o eliminam.
Após enterrarem os corpos e limparem sua bagunça eles recebem a noticia de que finalmente o teleportador estava pronto. O grupo de zumbis é reunido com o Pantera e o ex-líder rebelde para discutir o que fazer agora, já que acham melhor todos se teleportarem para um mundo novo para terem chance de sobrevivência, mas é quando o ex-líder rebelde se mostra um traidor duplo dizendo que ele sempre sabotou a máquina porque queria reinar em uma aldeiazinha em vez de ser só mais um em uma sociedade funcional.

E ele aciona a máquina mandando os zumbis para outra dimensão, restando a ele governar os sobreviventes.

E sim, havia continuação em outra dimensão.
A fome nunca acaba.

domingo, 5 de março de 2017

VLOG Alcateia #98 - Oscar: Quem já venceu mas não convenceu?

Depois do mico final no Oscar 2017 nós perguntamos aos amigos: Qual filme já ganhou o Oscar sem merecer? Presentes hoje Renato, Eddie, JM, Patrícia e Ricky. 

E você, qual filme já venceu mas não convenceu?

sexta-feira, 3 de março de 2017

Chá das Cinco Especial - A relevância de LOGAN para os dias de hoje

Ricky Nobre comenta o filme de heróis que abriu o ano com chave de ouro e a sua importância no cenário atual. Também fala das críticas sociais e o paralelo (intencional ou não) com a política Trump.

 

quinta-feira, 2 de março de 2017

Chá das Cinco Especial - Expectativas para o filme "Logan" (sem spoiler)

JM fala o que ele espera do aguardado e tão bem falado último filme do Wolverine com Hugh Jackman. Tá levando fé? Deixe aí sua opinião! ESTRÉIA HOJE no Brasil

DUCK TALES DE VOLTA

Deem aí uma olhadinha na nova versão da família Pato:



por Renato Rodrigues
Eu achei que seria uma continuação, não um remake, mas deixa pra lá, parece bem legal!

Eu lembro quando a original estreou no SBT no final dos anos 80 e foi uma festa para nós que líamos os quadrinhos poder ver o Tio patinha pela primeira vez animado. Também foi decepcionante ver que o Donald fazia apenas uma participaçãozinha, coisa que ESPERO que essa novo desenho finalmente venha a corrigir!

QUERO TANTO VER QUE VOU ATÉ CANTAR A MUSIQUINHA!!!!!

video

quarta-feira, 1 de março de 2017

LOGAN: A pequena obra prima que pode mudar a forma como são feitos filmes de super heróis.


Por Ricky Nobre


A comunidade nerd tem o estúdio Fox em baixíssima conta no que se refere a seus filmes de super heróis, ainda que X-Men 2 (2003) seja ainda um dos melhores filmes do gênero já feitos e X-Men Primeira Classe (2011) seja bastante elogiado. Como isso é possível? Bem, não é muito difícil de entender. Embora tenha causado enorme impacto em seu lançamento por tratar com seriedade o universo mutante, X-Men (2000) não é mais tão interessante visto hoje. X-Men 3 (2006) sofreu com mudança de diretor e um roteiro que insistiu em contar diversas histórias complexas em um filme curto. X-Men Primeira Classe, apesar de elogiado, foi responsável pela vergonhosa bagunça cronológica da franquia, que o ótimo X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido (2014) fingiu corrigir, o que era, de fato, impossível. X-Men: Apocalypse (2016) chegou com ares de filmaço, respaldado pelo sucesso dos dois filmes anteriores, e acabou decepcionando. Isso sem falar dos filmes solo do Wolverine, o Origens (2009) e Imortal (2013), considerados aquém do esperado pelos fãs. Junte a isso os nada mais que simpatiquinhos filmes do Quarteto Fantástico, que se alçaram ao status de obras primas se comparados ao fiasco do reboot do grupo lançado em 2015. Em resumo, o currículo da Fox nos filmes de quadrinhos é de alguns fabulosos acertos, uma maioria de medíocres, e algumas tralhas inassistíveis. Até que chegou o filme de um maluco de vermelho...

 

Deadpool (2016) chegou bagunçando a forma de se fazer filmes de heróis. Com personagens e situações excessivamente adaptados, muitas vezes para tornar os filmes aptos para a classificação 13 anos, os filmes do gênero, não raro, acabam dando um “gosto aguado” para os que estão acostumado com os originais impressos. Interpretado e produzido pelo mesmo Ryan Reynolds que encarnou o personagem tosca e irreconhecivelmente adaptado em Wolverine: Origens (um dos principais motivos do filme ser tão odiado), Deadpool veio com classificação 17 anos, muita carnificina, palavrão e put... digo, safadeza, numa excelente transcrição do personagem dos quadrinhos para o cinema. O sucesso estrondoso de público abriu os olhos dos executivos da Fox. Hugh Jackman já vinha interpretando Wolverine desde 2000 e já planejava aposentar as garras de adamantium. Essa era a última oportunidade de produzir o que os fãs vinham implorando durante anos: um filme do Wolverine de verdade! E foi exatamente isso o que fizeram. Logan é o melhor filme do universo mutante desde X-Men 2 e talvez, em alguns aspectos, o supere. Os aplausos no Festival de Cannes não foram à toa. 

 

Em 2029 praticamente não restam mais mutantes. Logan (Hugh Jackman), envelhecido e debilitado, já não aguenta tanto as surras da vida quanto antigamente. Trabalhando como motorista de limusine, ele cuida secretamente de um Xavier nonagenário (Patrick Stewart) que precisa de drogas tarja preta para controlar convulsões que podem ser letais para os que o cercam. Logan tem a ajuda solitária do velho morlock Caliban (Stephen Merchant), e tenta juntar dinheiro para comprar um barco e ir para o mais longe dali. Mas os problemas sempre encontram Logan, e eis que surge Laura (Dafne Keen), de 11 anos, com garras de adamantium, fator de cura e sangue no olho, trazendo atrás de si Pierce (Boyd Holbrook) e um pequeno exército que a persegue. Os últimos mutantes partem então em busca de um lugar chamado Éden, um suposto refúgio para mutantes. 

 

O que mais impressiona em Logan não é o palavreado de estiva, nem a brutal violência, apesar de ela ser essencial e esperada por quem realmente conhece o personagem. O que o filme traz de diferente é uma constante sensação de tragédia, de fracasso. Logan, Xavier e Caliban vivem sob os escombros esquecidos do sonho de um futuro melhor, onde mutantes e humanos vivem em harmonia. As paisagens desérticas evocam ambientações e contos pós apocalípticos. Mas não houve apocalipse. Nada mudou na sociedade, todos vivem bem. O holocausto foi apenas mutante, nenhum nasce e, pelo que se sabe, todos morreram e ninguém parece se importar muito. Tudo o que resta a Logan é tentar sobreviver, e nem isso ele parece se esforçar muito para fazer. Nenhum personagem mutante no cinema apanhou tanto da vida quanto Logan. A morte e a perda o perseguem com inclemência. Ele está doente, morrendo e cansado de perder. Quando a vida joga Laura em seu colo, Logan obviamente recusa qualquer responsabilidade. Mas esta pode ser sua última chance de fazer novamente algo que realmente faça diferença. De ser um herói. Muito se falou de que uma adaptação de O Velho Logan deveria ter Clint Eastwood no papel principal. Isso não só faz todo sentido, como, de certa forma, se concretiza em Logan. A semelhança física de Jackman com Eastwood é menos eloquente do que os ecos de Os Imperdoáveis (1992), onde Eastwood encarna o cowboy envelhecido e decadente que precisa reunir suas últimas forças para enfrentar homens perigosos. As cenas de Os Brutos Também Amam (1953) que Xavier e Laura veem no hotel reforçam o tom de western do filme e prenunciam o destino dos personagens. 

 

James Mangold, que dirigiu Wolverine Imortal recebendo reações controversas (há quem ache bem melhor do que Origens, outros, pior...) ganhou carta branca da Fox para fazer o filme que quisesse e não desperdiçou a oportunidade. Com inteligência e sensibilidade, Mangold, que escreveu o roteiro junto com Scott Frank e Michael Green, não se deixou seduzir pela saída fácil de se ater ao “sangue e palavrões” ao forjar seu filme “para maiores”. Ele desenvolve extremamente bem os personagens naquele momento trágico de suas vidas, dando chance ao elenco de brilhar como nunca. Jackman dá sua melhor interpretação do personagem desde que assumiu as garras há 17 anos. Patrick Stewart, excepcional ator shakespeariano, não tem oportunidade de brilhar assim na tela desde o brilhante episódio final de Star Trek: A Nova Geração. Flutuando entre a delirante senilidade e a desolada sanidade, Xavier tenta desesperadamente mostrar a Logan a urgência em proteger Laura, manda Logan se f... acusando-o de ingrato, finge tomar os remédios como um velho turrão e guarda soterrada nas profundezas da memória uma culpa que o corrói. Mas Dafne Keen não brilha menos do que seus colegas com múltiplas vezes sua idade. Com traços incrivelmente expressivos, Keen imprime em Laura uma selvageria real, com domínio suficiente das sutilezas da interpretação para deixar transparecer a inocência e a fragilidade infantil apenas no momentos certos. Com atores de tamanho gabarito ao seu lado, Keen consegue tornar o filme tão de Laura quanto é de Logan.

 

Será imensamente interessante ver como o público perceberá o filme daqui a 20 ou 30 anos, pois Mangold, além de contar uma belíssima história sobre a morte de um sonho e o crepúsculo de um herói, também conseguiu tornar Logan um produto do seu tempo. Numa época em que proclamados fãs de X-Men infestam a internet vomitando intolerância, racismo, machismo e homofobia, Mangold tomou a tarefa de relembrar porque Stan Lee criou os mutantes em 1963, época crucial na luta pelos direitos civis. Com Donald Trump na presidência dos EUA, Mangold traz um filme onde novos jovens mutantes vêm do México, são perseguidos e quase dizimados, e têm que lutar, apesar das imensas desvantagens, não só pela própria sobrevivência, mas para manter vivo o sonho de Xavier de um futuro de paz e igualdade. Logan é uma verdadeira história de Wolverine e dos mutantes. Pode ser o fim da jornada de Hugh Jackman empunhando as garras do carcaju. Mas não é o fim dos mutantes no cinema e, se a Fox realmente aprender com seus erros e acertos, uma nova era de filmes mais fiéis aos personagens e suas histórias. Assim como no próprio filme, ficamos com a esperança de que, apesar das tragédias passadas, uma nova geração sinaliza com um belo futuro.



LOGAN
Com: Hugh Jackman, Patrick Stewart, Dafne Keen,  Boyd Holbrook, Stephen Merchant, Richard E. Grantt.
Direção: James Mangold
Roteiro: James Mangold, Scott Frank e Michael Green
Fotografia: John Mathieson 
Montagem: Michael McCusker e Dirk Westervelt   
Música: Marco Beltrami 



VLOG Alcateia #97 - LOGAN (sem Spoilers) com Poltrona Pop

Renato e Eddie batem papo sobre LOGAN com Kal J Moon e Marlo George do www.poltronapop.com.br 

Será o último filme com o ator? Qual o futuro da franquia mutante nas telas? Será que a pipa do Wolverine não sobe mais?

FOTO DO AQUAMAN no Carnaval



Zack Snyder divulgou numa rede social que eu nunca ouvi falar (Acho que o facebook morreu mesmo, só eu tô lá ainda!) um teste de efeitos visuais de Liga da Justiça, que mostra o Aquaman (Jason Momoa) debaixo d'água.