domingo, 20 de maio de 2018

Kenobi


Por Carlos Tavares

De acordo com informações fornecidas pelo “TMZ”, o próximo filme da franquia “Uma História Star Wars" depois de Solo, vai se passar em um passado nem tão distante assim para os fãs da saga. O filme será focado em Obi-Wan Kenobi, mostrando a infância de Luke Skywalker, alguns anos antes do "Episódio IV: Uma Nova Esperança" (1977). 

"Obi-Wan está vivendo em Tatooine como um eremita, enquanto secretamente cuida de um pequeno Luke Skywalker, que ele entregou ao seu tio, Owen. As tensões entre os fazendeiros locais e uma tribo chamada Povo da Areia — liderada por um brutal chefe de guerra — obrigam Obi a sair de seu esconderijo... e voltar ao modo Jedi", resume a sinopse obtida pelo site. 

O filme deve se chamar "Obi-Wan: A Star Wars story" e Stephen Daldry está listado como diretor. A produção deve começar em 2019. 

O período escolhido para retratar Obi-Wan aumenta as chances de Ewan McGregor retornar ao papel. Em outubro passado, Ewan McGregor já havia dito que gostaria de voltar a interpretar Obi-Wan em algum período de tempo entre "Episódio III - A Vingança dos Sith" (2005), que narra a transformação de Anakin Skywalker em Darth Vader, e "Episódio IV: Uma Nova Esperança". 

"Acho que ainda há uma história do personagem a ser contada entre a época vivida por mim e a vivida por Alec Guinness", afirmou o ator, "Seria divertido filmar essa história agora que estou mais velho, com a idade certa. Tenho 45 anos, e o Alec tinha o que, uns 60? Poderia fazer uns dois filmes ainda (risos)", comentou o ator. 

Vale lembrar que essa história se parece com um livro publicado em 2013, “Star Wars Legends: Kenobi”, que em sua sinopse diz: 

“Após os terríveis acontecimentos que deram fim à República, coube ao grande mestre Jedi Obi-Wan Kenobi a missão de proteger aquele que pode ser a última esperança da resistência ao Império. Vivendo entre fazendeiros no remoto e desértico planeta Tatooine, nos confins da galáxia, o que Obi-Wan mais deseja é manter-se no completo anonimato e, para isso, evita o contato com os moradores do local. No entanto, todos esses esforços podem ser em vão quando o 'Ben Maluco', como o cavaleiro passa a ser conhecido, se vê envolvido na luta pela sobrevivência dos habitantes de um oásis esquecido no meio do deserto e em seu conflito contra o perigoso Povo da Areia.”



É um ótimo livro. Espero que seja um ótimo filme e mantenha a qualidade do selo Star Wars.

Quem você não viu, também sumiu!!!


Por Carlos Tavares


Joe e Anthony Russo, diretores de Guerra Infinita, revelaram o destino de alguns dos personagens secundários mais populares da Marvel. Enquanto as cenas finais do filme se centravam nos heróis que conhecemos, as conseqüências do estalar de dedos se espalharam pelo universo. Metade da vida em todo o Universo foi aniquilada num instante, um ato de genocídio sem precedentes. 

Na Terra, isso significa que incontáveis ​​personagens também foram afetados. Esse fato foi comprovado pela cena pós-créditos que mostrou que até mesmo Fury e Maria Hill não foram poupados. 

O Huffington Post teve a oportunidade de falar com os irmãos Russo, e eles nomearam alguns personagens secundários importantes. Os Russos realmente responderam, dando uma ideia de quem foi deixado para lidar com essa terrível reviravolta do destino. 


Primeiro, a Betty Ross de Liv Tyler está morta, vítima do estalar de dedos. "Foi embora", disse Joe Russo ao Post. 

Tyler foi apresentada ao lado do Bruce Banner, de Edward Norton, em O Incrível Hulk (2008), mas não foi mais vista no MCU desde então. Houve rumores no ano passado de que Tyler poderia reprisar seu papel pois os jornais do Reino Unido informaram que ela estava no país enquanto a Marvel estava filmando, embora na verdade ela estivesse trabalhando em outra produção. 

Como não há realmente um lugar para Betty Ross no MCU moderno, não é surpresa que os russos a tenham definido como morta. Talvez a questão mais interessante seja se o pai dela, o General "Thunderbolt" Ross, sobreviveu, como Secretário de Estado encarregado do Acordo de Sokovia. 


Infelizmente, parece que a popular Lady Sif de Jaimie Alexander também está morta. A agenda de Alexander não conseguiu acomodar as filmagens de Thor: Ragnarok, o que provavelmente impediu que seu personagem fosse morta por Hela. A maioria dos fãs supõe que Sif simplesmente não estava em Asgard no momento da chegada de Hela, e em vez disso estava em uma missão de algum tipo. Infelizmente, parece que a ausência de Sif em Ragnarok foi apenas uma questão de retardar o inevitável. 


Um personagem secundário que sobreviveu, no entanto, é a popular tia May de Marisa Tomei. A versão mais jovem de tia May foi apresentada em Capitão América: Guerra Civil, e desempenhou um papel importante no ano passado em Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Que terminou com May descobrindo que Peter é o Homem-Aranha, embora as conseqüências dessa decisão ainda não tenham sido vistas. Sem dúvida, o desaparecimento / morte de seu amado sobrinho abalará May até os ossos. 

Os Russos evitaram falar o que aconteceu com vários outros personagens, incluindo Korg, Miek,(que devem ter fugido com a metade dos asgardianos que Thor alega ter sobrevivido ao ataque de Thanos, assim como a Walquiria) Shuri e Ned Leeds. Em cada caso, é provável que o personagem desempenhe algum papel em Vingadores 4. 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

GIRO DA SEMANA



Por Carlos Tavares 


A Segunda Temporada de The Orville só em dezembro. 



A série criada, roteirizada e estrelada por Seth MacFarlene volta para a sua segunda temporada agora com 14 episódios em 30 de dezembro. 

Alguns episódios deverão ser dirigidos por Jonathan Frakes. 

Outro que retorna é Robert Picardo, como o pai da tenente Alara Kitan, Ildis Kitan. 

A Patrulha do Destino. 



O serviço de streaming da DC, previsto para 2018 ainda, anunciou mais uma série ao seu catálogo: Patrulha do Destino, que contará com 13 episódios. 

Em um comunicado da Warner Bros Television, a série é descrita da seguinte forma: 

“Uma releitura de um dos mais amados grupos de super-heróis da DC: Homem-Robô, Homem-Negativo, Mulher Elástica e Crazy Jane, liderados pelo cientista Dr. Niles. Os membros da Patrulha do Destino sofreram acidentes terríveis que lhes deram habilidades sobre-humanas mas também os deixaram marcados e desfigurados. Traumatizados e oprimidos, a equipe encontrou um propósito investigando os fenômenos mais estranhos existentes e protegendo a Terra do que eles encontram. Se passando após os eventos de Titãs, a Patrulha do Destino encontrará esses jovens relutantes em um lugar onde eles nunca esperariam estar, sendo chamados à ação por ninguém menos que o Cyborg, que chega até eles com um missão difícil de recusar, mas com uma advertência que é mais difícil ainda de ignorar: suas vidas nunca mais serão as mesmas.” 

A Morte do Superman (2018). 

Um trailer da próxima animação da DC. A Morte do Superman. 



De acordo com a DC Comics, a nova adaptação será dividida em duas partes: a primeira, A Morte do Superman, contando como o Homem de Aço morre nas mãos de seu inimigo, e a segunda, Reino dos Supermen, mostrando quatro versões do personagem, que assumem após sua morte – Superboy, Aço, Ciborgue Superman e Erradicador. 

Uma série para todas as séries dominar... 



Segundo o site The One Ring, o diretor estaria indeciso entre fazer um filme de super-herói do estúdio ou comandar uma série de TV baseada em "O Senhor dos Anéis". 

Sem dar muitos detalhes, eles escreveram o seguinte no Twitter: "Decisões estão sendo feitas por Peter Jackson e sua equipe na Nova Zelândia: retornar à Terra Média com a Amazon, ou brincar no universo da DC?" 

Em abril, outros rumores apontavam que ele poderia se tornar um dos produtores executivos da série de TV, contudo, a informação do site "The Hollywood Reporter" era apenas que a empresa de streaming estaria tentando trazê-lo para a produção. 

O que se sabe até agora sobre essa produção é que a Amazon pagou US$ 250 milhões para garantir os direitos globais de O Senhor dos Anéis, vencendo a disputa contra a Netflix. Mas isso foi só para garantir os direitos. Calculando os custos com elenco, efeitos visuais e a produção de maneira geral (locações, etc.), a série deve custar US$ 1 bilhão para a empresa de streaming, e a nova série derivada dos livros de J.R.R. Tolkien não contará a mesma história da trilogia de Peter Jackson, sendo descrita como uma espécie de prequel. 

É importante destacar que até agora também não existem confirmações de uma negociação entre Peter Jackson e a DC. Mesmo assim, os fãs não perderam tempo: em caso do boato sobre a DC ser verdade, eles especulam que Jackson deve dirigir "Homem de Aço 2″,"Tropa dos Lanternas Verdes" ou "Liga da Justiça Sombria". 

Mais uma Crise chegando. 



De acordo com o site Bleeding Cool, a DC está preparando outro grande reboot de seus quadrinhos. Não se sabe muitos detalhes sobre o desenvolvimento dele, mas é mencionado que o título desse grande evento será simplesmente ‘CRISE‘. 

Também já foi dito que com esta reinicialização, Batman e Superman se tornarão solteiros novamente. Com isto, a editora aparentemente pretende retornar à época em que as coisas eram mais ‘simples’ para ambos os super-heróis. 

Uma ‘Crise’, até faz sentido considerando que os editores estariam ‘preparando a casa’ para a chegada de alguns escritores famosos que assumirão suas revistas principais, como Grant Morrison (Lanterna Verde) e Brian Azzarello (Esquadrão Suicida). 

Batman Basilis. 



Batman feito por fã brasileiro disputa prêmio de melhor filme nos EUA. 

O cineasta brasileiro Elvis delBagno está concorrendo ao prêmio de melhor filme no Gen Con Film Festival 2018 (evento de games), em Indianápolis, nos Estados Unidos, por seu filme "Um Conto de Batman: na Psicose do Ventríloquo". 

O longa metragem, que não é um filme oficial do personagem, tem um enredo autoral e, ao invés de cenas de explosões, lutas e efeitos especiais, privilegia a narrativa do personagem. 

Na visão de Elvis, Batman é retratado como um herói perturbado a cada dia que tenta descobrir um pouco mais sobre si mesmo. "Um Conto de Batman: na Psicose do Ventríloquo" levou quatro anos para ficar pronto. Ele é considerado um "fan film" e custou, na época, cerca de R$ 80 mil. 

Se ele não pode, então deixa com ela. 



O próximo crossover do Arrowverse introduzirá um rosto inédito: A Batwoman será apresentada junto com Gotham City, revelou Stephen Amell (Arrow) durante o Upfront da CW de acordo com o Entertainment Weekly. 

"Estou incrivelmente animado em anunciar que faremos outro evento de crossover no fim do ano. Pela primeira vez, lutaremos ao lado da Batwoman, o que é fantástico. O crossover vai ao ar em dezembro. Preciso sair agora e começar a filmar", brincou o ator que interpreta Oliver Queen nas telinhas. 

Essa é a primeira vez que um personagem característico das HQs do Batman é introduzido, apesar dos programas terem feito inúmeras menções à Bruce Wayne e sua empresa ao longo dos anos.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

DEADPOOL 2 – A volta do retorno da zoeira 2: a missão.

Por Ricky Nobre


Quando o ator Ryan Raynolds resolveu capitanear um reboot no personagem Deadpool (do qual ele havia interpretado uma versão desastrosa em X-Men Origens: Wolverine), ele decidiu radicalizar em sua transposição para a tela. Ele seria o mais fiel possível tanto no visual quanto na personalidade e no estilo não convencional de narrativa, onde o mercenário malucão conversava constantemente com o público e fazia incontáveis referências aos próprios quadrinhos da Marvel, à linguagem e ao processo de criação. Surpreendentemente, a Fox bancou a aposta perigosa de Reynolds e do diretor Tim Miller, resultando na grande surpresa da temporada. Deadpool foi um enorme sucesso de público, deixando imensamente satisfeitos tanto os fãs mais radicais quanto o público casual. Tamanha era a confiança dos produtores que uma continuação foi confirmada ainda três dias antes da estreia. Deadpool 2 chega às telas não sem percalços. Miller deixou o projeto por divergências criativas com Reynolds, entrando em cena David Leitch, que recém estreara na direção com outra adaptação de quadrinhos: Atômica

 

Como umas das maiores surpresas do filme acontece nos primeiros dez minutos, basta dizer que Deadpool, desiludido da vida, tenta entrar para os X-Men, mas acaba preso e tendo que proteger um menino mutante da sanha assassina de Cable, que veio do futuro para evitar a morte de sua família. A aventura é entremeada por quantidades industriais de referências e piadas de gostos dos mais variados, para bem e para mal, além de cenas de ação bombásticas, com um orçamento bem mais expressivo do que o anterior. 

 

Um diferencial deste novo filme é que ele se detém um pouco mais em momentos mais dramáticos. De fato, alguns momentos trágicos (e um em particular) são valorizados e o diretor Leitch dá tempo aos personagens de senti-los. Sim, poucos minutos depois, já se está fazendo piadas com as desgraças, mas o timing funciona e é algo fiel ao personagem. Mais uma aula pro Waititi (aquele que resolveu mostrar a queda de Asgard num filme dos Três Patetas) em como respeitar seus personagens mesmo cercado de zoeiras por todos os lados (não, este crítico nunca irá parar de falar disso). 

 

Além disso, o roteiro parece ainda mais à vontade em apontar a metralhadora de piadas e referências para todos os lados. Tem piadas pra todo mundo, desde o nerd que sabe o número da edição em que cada personagem apareceu, até pro sujeito que tá só indo ver uma comédia de ação. O elenco é ótimo, com destaque para o jovem Julian Dennison, que interpreta o órfão mutante Russell e o sensacional Josh Brolin, que soube tirar o máximo de seu personagem magérrimamente escrito (apenas Wade e Russell tem alguma profundidade) e soube fazer um personagem sombrio existir de forma sólida num filme que foi concebido como pura zoeira. Além disso, existem algumas aparições surpresa que são a cereja do bolo.

 

O filme tem alguns problemas. Nem todas as piadas funcionam e algumas podem exceder o limite do bom gosto (ou da simples graça) dependendo de cada um. É também um enorme desperdício a triste subutilização da personagem Míssil e da sua nova namorada Yukio. Aliás, ela não tem absolutamente nada a ver com a Yukio da Marvel, e lembra muito outra mutante nipônica dos quadrinhos, a Faísca, tanto em aparência quanto em poder, ganhando o mesmo destino da Míssil, que da personagem original só tem o nome. Chega a ser tolo que se faça tanta piada com a falta de X-Men no filme e não se explore os que existem, sendo Colossus e Dominó os únicos realmente bem aproveitados, e os dois estão, de fato, bastante divertidos.

 

Deadpool 2 cumpre seu papel em expandir a zoeira do original, despejar referências e metalinguagem goela abaixo do público e, ao final, entregar o que o próprio Deadpool promete no início: um filme família. Com muito sangue e babaquice, mas ainda assim. Os fãs não vão se decepcionar, ainda mais com a melhor cena pós créditos de todos os tempos (é sério, a cabine de imprensa rompeu em aplausos, algo que não se vê todo dia). É, no mínimo, catártico. Não saia antes dos créditos!

 

COTAÇÃO:
 
DEADPOOL 2 (2018)
Com: Ryan Reynolds, Josh Brolin, Morena Baccarin, Zazie Beetz, Brianna Hildebrand, Julian Dennison, Shioli Kutsuna, Stefan Kapicic e Karan Soni.
Direção: David Leitch
Roteiro: Rhett Reese, Paul Wernick e Ryan Reynolds
Fotografia: Jonathan Sela
Montagem: Craig Alpert, Elísabet Ronaldsdóttir e Dirk Westervelt             
Música: Tyler Bates

terça-feira, 15 de maio de 2018

George Perez e Marv Wolfman, 40 Anos de Genialidade!


Por Carlos Tavares

Em Entrevista a Nerdist em 11 de maio de 2018 ficamos conhecendo um pouco mais sobre a dupla de maior sucesso das HQ: George Perez e Marv Wolfman. 

Na verdade, eles são provavelmente a única equipe criativa com mais de 40 anos de trabalho compartilhado entre eles. 

Para o escritor Marv Wolfman, a parceria deles foi nada menos que fenomenal. 

"George não é apenas um artista em qualquer coisa que fizemos, ele é um co-criador em todos os níveis, porque quando falamos sobre as tramas, eu posso entrar com uma ideia básica, mas no final eu não tenho mais ideia de quem fez o quê. É tudo integrado, está tudo conectado. Alguém apresenta uma ideia e o outro elabora a ideia. Ele continua indo e voltando, e eu acho isso incrível.” 

Wolfman continuou sobre a importância de Perez em seus esforços de colaboração e como a parceria moldou alguns de seus projetos mais famosos. 

“Ele entende os personagens, absolutamente, e como eu também entendo os personagens, podemos conversar em um nível completamente diferente. Os Titãs foram criados para serem dirigidos pelos personagens ao invés da ação, embora haja toneladas de ação. O que significa que nós dois estamos na mesma página quando começamos a trabalhar." 

George Perez concordou e devolveu as palavras do parceiro. 

"Eu disse isso várias vezes publicamente, assim como diretamente à ele mesmo. Marv é o padrão ouro pelo qual eu mensuro qualquer outro esforço colaborativo, eu já trabalhei com muitas pessoas ótimas, mas Marv é quem eu uso como padrão para avaliar todo mundo. Além de ser um escritor talentoso, ele também é incrivelmente generoso ao compartilhar os holofotes e incentivar seus colaboradores a contribuir e a fazer parte do processo criativo. ” 

De fato, Perez creditou a Wolfman o início de sua carreira como escritor. 

“Marv foi quem insistiu que eu deveria começar a escrever. Ele me encorajou a colocar mais minha personalidade nisso. Então, com o Cyborg - com quem eu tinha mais em comum por causa da minha educação - ele me permitiu muita liberdade. Com todos os personagens, mas, mais especificamente com ele, porque eu tinha uma afinidade particular com o passado dele.” 

Perez também falou longamente sobre como sua colaboração com Wolfman levou a alguns momentos de revelação. "Eu aprendi muito tempo atrás, e foi com Marv que eu realmente aprendi uma coisa muito importante. Quando eu lia uma carta de um fã, e eles comentavam como eles amavam o que acontecia em uma história, eu pensava: 'Oh, eles gostaram da arte? ' Mas Marv me disse que eles estavam falando sobre a história e, é isso que estamos fazendo, estamos envolvendo os leitores em uma história. Não é o meu trabalho ou o seu trabalho, é a história.” 

Perez continuou: “Fiz uma pergunta: O que é mais importante: a escrita ou a arte? "E a resposta foi que sem uma história, não há nada para desenhar. Sem a arte, não é uma história em quadrinhos. Você não pode separá-los! Um não é mais importante que o outro! Isso é um argumento usado apenas por pessoas que precisam que seu ego seja acariciado!” 

A dupla tem quatro décadas de memórias compartilhadas, e para Wolfman são as mais surreais e engraçadas que se destacam. 



“Não me lembro das partes em que inventamos histórias juntos, mas uma das minhas lembranças favoritas dos Titãs, é que estávamos em uma lanchonete em Flushing, trabalhando na história da Terra, e estávamos falando sobre como matar essa menina de 16 anos, e estávamos empolgados falando sobre todas essas coisas e felizmente, nenhuma pessoa no restaurante nos denunciou à polícia! Primeiro não mostre o corpo para que os leitores pensem que ela ainda está viva e, em seguida, divida-a! E ninguém na lanchonete se importava! Nós poderíamos nos safar com isso!” 

Para Perez, o tempo que passaram juntos nos quadrinhos ajudou a mudar sua forma de produzir, sua carreira e sua vida pessoal para sempre. 

"Minha lembrança mais agradável é o nosso trabalho sobre a questão que realmente estimulou o quanto os Titãs significavam para mim como personagens, foi um projeto pessoal – a edição # 8, 'Um dia em nossas vidas' - que foi apenas um dia na vida dos Titãs que não tinha nada a ver com super-heróis; foi a história em que os personagens foram melhor dirigidos. Na verdade, isso mudou minha opinião sobre o que eu fazia na época: isso não era mais uma tarefa, era um projeto no qual eu realmente queria estar pessoalmente envolvido. Também era a revista em que eu estava trabalhando quando tive o primeiro encontro com a mulher que se tornaria minha esposa! Então eu sempre me lembro daquela época com um carinho particular. Foi uma grande mudança na minha vida! ” 



Wolfman foi rápido em concordar. 

“As histórias de que nos lembramos, são aquelas em que trabalhamos juntos de forma tão clara, como 'Um Dia em nossas Vidas’ e 'Who Is Donna Troy', que George acompanhou por completo, ele foi o maior responsável pelo 'O Casamento de Donna Troy', que foi lindamente montado. Eu lembro porque não era padrão fazer o que fizemos. Unir os personagens para um casamento e depois para um ataque dos vilões. Só que não há vilões nessa história, o que dificultou muito a elaboração de uma história em tamanho duplo! ” 

Perez sorriu antes de continuar o pensamento de seu parceiro. "Não só não há vilões, mas os personagens nunca aparecem em traje de super-heróis, com exceção de Ravena, já que ela foi à única que não compareceu ao casamento, foi tudo muito divertido.” “Quem pensaria que isso seria algo que eu poderia fazer? E mais um toque pessoal: o vestido de casamento e os vestidos das damas de honra foram todos projetados por minha esposa, Carol Flynn!” 



“Quando saí dos Titans, fiz questão de fazê-lo publicamente em um congresso com Marv sentado ao meu lado. Eu disse a eles que estava deixando a revista porque queria flexionar meus músculos em outra coisa. A revista estava vendendo tão bem e eu estava tendo que tomar atalhos para produzir um título mensal, estava com medo de receber muito dinheiro por fazer menos que meu melhor trabalho. Eu precisava ser desafiado! Eu me certifiquei de ter Marv ao meu lado para que todos soubessem que eu amo esse homem!”

“Uma das maiores alegrias que eu gosto de me gabar com Marv é como em muitos campos criativos você ouve essas histórias sobre colaboradores que não suportam trabalhar uns com os outros e se separam por causa de divergências criativas. Eu e Marv, somos amigos há décadas! Nossas esposas são amigas! E o fato de estarmos conscientes de que é uma bênção estar nesse negócio e nos alimentarmos um do outro é absolutamente maravilhoso ”. 

Para esse leitor de HQ que vos escreve essa, pra mim, sempre foi a maior dupla das HQ de todos os tempos. Com eles aprendemos que os personagens tambem têm problemas comuns como relacionamentos e família, vimos o Robin (Dick Grayson) sair da sombra do Batman e se tornar o Asa Noturna. O surgimento do Exterminador. A criação do Cyborg, hoje tão querido de muitos, isso sem falar na saga que mudou tudo. Da Crise das crises, que viriam depois e que nunca chegaram aos pés dela. A Crise nas Infinitas Terras. Que reformulou todo o Universo DC dando lugar para a modernização de personagens que depois nunca mais foram os mesmos, como o Superman de John Byrne, o Batman de Frank Miller e a Mulher-Maravilha de... George Perez.


segunda-feira, 14 de maio de 2018

TV Pirata 30 anos - Chá das Cinco #241

O programa que mudou o humor na TV completa 30 anos e a gente vai falar um pouquinho dele relembrando nossos quadros preferidos 

com Renato Barbosa, Eddie Van Barbosa e Patricia Barbosa

RIP MARGOT KIDDER (1948-2018)


por Renato Rodrigues
A eterna Lois Lane, Margot Kidder, faleceu ontem (13/05), em sua casa, mas a notícia só chegou hoje tornando essa uma segunda-feira mais triste.


A atriz canadense que faria 70 anos em outubro sofreu durante anos com transtorno bipolar e, em um incidente em 1996, ficou desaparecida por quatro dias. O seu último trabalho foi no ano passado no drama The Neighborhood.

Em 2004 ela chegou a fazer uma participação em SMALLVILLE
O pessoal da CCXP lamentou a morte da atriz: "Estamos devastados. Margot seria parte da nossa celebração de 80 anos de Superman na CCXP - e também da Lois Lane. Ela seria anunciada em 10 dias como convidada e estava muito feliz em vir para o Brasil. Sua falta será extremamente sentida".
Eu gosto muito da Lois Lane da TV dos anos 90 feita pela Teri Hatcher em Lois & Clark, mas o rosto de Margot Kidder sempre será minha referência para a personagem, assim como o ator Christopher Reeve é O Superman.

Vá em paz, senhorita Lane.



"Você pode ler meus pensamentos?
Você sabe, o que ela costuma fazer comigo ?
Nem sei que você é
Apenas um amigo de uma outra "estrela"

Aqui estou eu como uma criança na escola
De mãos dadas Com Deus,sou tão tola
Quando você me olha tremendo
Como uma garotinha trêmula?
Você pode ver através de mim

Você pode ler meus pensamentos?
Você pode ver as coisas que eu estou pensando ?
Imaginando por que você é
Tudo de maravilhoso que você é

Você pode voar, você pertence ao céu
Você e eu pertencemos um ao outro

Se você precisar de um amigo
Eu sou quem você pode procurar

Se você precisar ser amado, (ser amado)
Aqui estou eu, leia minha mente

Quando você me olha, tremendo
Como uma garotinha, trêmula?
Você pode ver através de mim

Se você precisar de um amigo
Eu sou quem você pode procurar
Se você precisar ser amado
Aqui estou eu, leia meus pensamentos!"

Série dos Inumanos oficialmente cancelada.


Por Carlos Tavares

Já que extra oficialmente, já sabíamos que não tinha como a Marvel (é gente, a Marvel também pisa na bola tá bom?) prosseguir com essa série.

A Marvel Television e o canal ABC pegaram todos de surpresa em 2016 ao anunciar que o filme dos Inumanos iria virar série de TV, a expectativa de todos foi parar na Lua. O resultado, infelizmente foi tão decepcionante quanto às expectativas geradas.

O seriado não teve um bom início já que as críticas começaram desde o primeiro trailer, onde o público criticou o visual do programa. Os fãs questionavam onde estava o investimento em efeitos especiais, algo fundamental em um grupo como os Inumanos. 

Fracassaram também na bilheteria do IMAX, já que os dois primeiros episódios foram exibidos como filme. A série era tão ruim que muitas salas desistiram de exibir o programa uma semana antes do prazo devido a falta de interesse. Bombardeado pela crítica, a própria emissora admitiu a derrota na época: 

"[A série] Não se saiu como nós esperávamos. Não tomamos decisões oficiais até agora mas direi que os números foram bem menos animadores do que esperávamos que seriam", disse Channing Dungey, presidente do canal.

Após o fim da temporada, a emissora retirou qualquer menção de continuidade de seus materiais promocionais. E por diversas vezes o elenco deixou a entender de que o fim era certo. Prova disso é que Anson Mount, que viveu o protagonista Raio Negro, já está contratado, para a segunda temporada de Star Trek Discovery onde ele interpretará o Capitão Pike, Capitão da Enterprise antes de James Kirk.


Os fãs pediram ajuda até a James Gunn (diretor de Guardiões da Galáxia) para "salvar" a série. Entretanto, a sua resposta foi curta e direta:

“Não parece que há muito o que se salvar em Inumanos”

Agora, cerca de 6 meses após a estréia, a ABC oficializou o fim de Inumanos. A série durou apenas uma temporada, com 8 episódios.