segunda-feira, 30 de março de 2020

Crítica Retrô - Godzilla (2014)

Por Anny Lucard


Dirigido por Gareth Edwards, 'Godzilla' (2014) tem roteiro de Max Borenstein com história de David Callaham e é baseado no monstruoso personagem japonês Gojira, criado em 1954 por Ishirô Honda, que deu origem a uma das primeiras franquias bem sucedidas japonesas, com filmes a quadrinhos/mangás.

Ao completar 60 anos, Godzilla volta aos cinemas como deveria, pois o novo filme segue a linha dos originais japonês desde o roteiro ao visual do monstro. Um dos mais fiéis filmes já produzidos com Godzilla pelo ocidente, a produção usa toda a tecnologia cinematográfica disponível atualmente, para dar vida ao monstro mais querido do Japão, o mostrando como nunca foi visto, em 3D e alta definição.


Visualmente o Godzilla do novo filme é o que o seu criador idealizou na época e não tinha tecnologia para fazer da forma certa. Quanto ao roteiro, mantém toda a essência dos filmes originais, atualizando alguns fatos, mas seguindo a linha de pensamento das histórias japonesas, ou seja, um monstro que remonta a Era dos Dinossauros, lembrando algumas lendas antigas do tipo, como a envolvendo o famoso monstro do lago Ness, na Escócia, Reino Unido.


Também há várias situações no decorrer da história, algumas vezes estranhas para os ocidentais, mas típicas de roteiros de produções japoneses, que são uma tipo de referência e homenagem, as quais provavelmente só os fãs do cinema e produções audiovisuais do Japão vão perceber e entender (uma espécie de "easter eggs").


O filme deve agradar aos fãs de Godzilla, incluindo do desenho, pois também tem referências a antiga animação produzido pelos estúdios Hanna-Barbera na década de 1970.

A trama de 'Godzilla' (2014) tem foco nos Brody, que após um grave acidente numa Usina Nuclear, com a perda de um dos membros da família, precisam recomeçar do zero.


Anos depois, o agora adulto, Ford Brody (Aaron Taylor-Johnson) é um militar valoroso, casado com a médica Sandra (Juliette Binoche), que só pensa no trabalho e em cuidado de sua vida e de sua própria família, buscando não repetir os erros de seu pai em relação ao próprio filho, Sam. Porém a prisão do pai, Joe Brody (Bryan Cranston), o faz voltar onde sua família se desfez. Isso porque Joe está obcecado desde então, a saber o que aconteceu realmente no fatídico dia do dito acidente na usina.


Joe está certo que o governo do Japão está escondendo algo, pois tem dúvidas quanto a ter sido realmente um acidente, e provavelmente com ajuda dos Estados Unidos. Já que havia norte-americanos, como ele, trabalhando na usina na época.

Em meio a trama envolvendo a família Brody, temos os atores Ken Watanabe, que interpreta o Dr. Ichiro Serizawa, e Sally Hawkins, que interpreta a cientista Vivienne Graham, ambos trabalhando em um projeto secreto, envolvendo uma descoberta que pode acabar com a humanidade.


O filme 'Godzilla' (2014) também conta com uma breve introdução a história do monstro japonês Gojira, chamado 'Godzilla - Awakening', um quadrinho que narra a história dos acontecimentos antes do ocorrido no filme, escrito por Greg Borenstein e Max Borenstein (roteirista do filme). Atualmente o filme 'Godzilla' está disponível no Looke.com.br para alugar digitalmente. E vale uma observação atualizada, o fato desse filme se manter fiel ao gênero ficçâo científica, enquanto a produção que deu continuidade a história mescla a trama com o gênero fantasia.

NOTA: Crítica antiga, já publicada em outros veículos, que teve o texto atualizado e republicado por Anny Lucard especialmente para o Alcateia.Com


quinta-feira, 5 de março de 2020

Crítica Retrô - Angry Birds: O Filme

Por Anny Lucard


A produção inspirada no game 'Angry Birds', 'Angry Birds - O Filme'(Angry Birds, 2016), tem direção de Clay Kaytis e Fergal Reilly, e no elenco original atores como Peter Dinklage (série 'Game Of Thrones'), Kate McKinnon ('Caça-Fantasmas' - 2016), Bill Hader ('DivertidaMente'), entre outros. Já entre os dubladores brasileiros, o ator Fábio Porchat retorna ao mundo das dublagens após sua bem sucedida estreia em 'Frozen'. Em 'Angry Birds' Fábio Porchat dubla Chuck, personagem que originalmente é dublado por Josh Gad, mesmo que dublou o Olaf em 'Frozen'.

Com o roteiro escrito por Jon Vittio, o filme tem todas as principais características da narrativa do famoso game, reunidas em uma trama que dá maiores explicações do motivo dos passarinhos mais irados do mundo estarem tão furiosos com os porcos.


O filme inicia mostrando a pacata ilha onde pássaros felizes, os quais não voam, vivem. É nesse bucólico lugar, quase um paraíso, que vive Red (Jason Sudeikis), um passarinho diferente dos outros, já que não faz o tipo que leva desaforo para casa. Tendo um grande problema de raiva.

Já o pássaro "hiperativo" Chuck (Josh Gad) que não só fala rápido, como faz tudo em tempo maior que qualquer outro e o "explosivo" Bomba (Danny McBride), por sempre se meterem em confusão, acabam juntos de Red num local para "Pássaros Irritados", em inglês "Angry Birds", tratarem os problemas comportamentais.


Se ter que lidar com os companheiros "Angry Birds" já estava sendo complicado para Red, quando um navio misterioso surge na praia principal da ilha, onde o pássaro tem sua casa, o qual era tripulado por apenas dois porcos; ele acredita que tem algo muito errado em tanta simpatia gratuita vinda dos estranhos visitantes.

Após tentar alertar os outros pássaros e ser ignorado, Red resolve investigar as intensões dos porcos por conta própria, com a ajuda de Chuck e Bomba.


Além de um criativo roteiro, repleto de referência atuais, e muito bem desenvolvido a partir das características do game, 'Angry Birds' também se destaca pela Trilha Sonora muito bem feita.

'Angry Birds' da Columbia Pictures e da Rovio Entertainment tem produção de John Cohen e Catherine Winder, e a produção executiva é de Mikael Hed e David Maisel; e, atualmente, o filme pode ser visto na Netflix, disponível legendado e dublado em português. Vale dizer que o filme ganhou uma continuação em 2019, 'Angry Birds 2 - O Filme'.

NOTA: Crítica antiga, já publicada em outros veículos, que teve o texto atualizado e republicado por Anny Lucard especialmente para o Alcateia.Com