segunda-feira, 27 de abril de 2020

Crítica - "Resgate"

Por Anny Lucard


A primeira crítica de um filme original Netflix, não podia ser melhor. 'Resgate' (Extraction, 2020), estrelado pelo ator Chris Hemsworth, é uma produção do gênero ação do serviço de streaming em parceria com os irmãos Russos.

Com direção de Sam Hargrave e roteiro escrito por Joe Russo, o filme narra a história do mercenário Tyler Rake, interpretado maravilhosamente por Chris Hemsworth, o qual durante uma missão, também precisa lidar com um dilema.



Tudo porque Tyler, com a morte prematura do único filho, não consegue lidar bem com o fato do "pacote" a ser recuperado na missão, ser um garoto, Ovi, que é brilhantemente interpretado pelo jovem ator Rudhraksh Jaiswal, o qual faz o filho de um chefão do crime organizado internacional.

Ovi e Tyler criam laços de amizade durante a missão, enquanto lutam para sobreviver a uma brutal caçada humana. Fugindo de inimigos que estão por toda parte.



A trama repleta de ação e boas doses de drama, bem inseridas ao longo do filme, também tem um ritmo próprio, o qual é gracas a clara inspiração do diretor nos games do gênero.

Isso porque durante todo o filme, o público se sente parte da missão, assim como acontece com o jogador de game, por conta da forma que a câmera é usada na filmagem, a qual simula um ambiente de game de ação em missão em área de guerrilha. Uma escolha que funcionou muito bem para a produção.



'Resgate' estreou com exclusividade na Netflix, este fim de semana, na sexta-feira, 24 de abril, e está disponível na versão legendada e dublada em português.

NOTA: E falando da dublagem em português, tenho que ressaltar que se ouvir o Chris Hemsworth falando palavrão é muito legal, dublado em português é ainda melhor. Por isso, particularmente, eu recomendo ver tanto legendado como dublado.


quinta-feira, 16 de abril de 2020

Crítica Retrô - Kong: A Ilha da Caveira

Por Anny Lucard


Em 'Kong: A Ilha da Caveira' (Kong: Skull Island, 2017) o público é levado novamente a ilha misteriosa onde vive Kong, um gigantesco macaco que é visto como rei (“king” em inglês) pela tribo daquele lugar que parece perdido no tempo, repleto dos mais estranhos seres.

No entanto, dessa vez, Kong não vai perder tempo com nenhuma loura e estará preparado para enfrentar qualquer ameaça, especialmente voadora. Não sendo fã de nenhum tipo de avião ou helicóptero, Kong não perdoa qualquer um em seu território.


O que o grupo de exploradores, que conta com auxílio de soldados do exército dos Estados Unidos, não sabem é que na misteriosa ilha do Pacífico tem outros perigos além Kong.

Com direção de Jordan Vogt-Roberts, essa nova produção inspirada no clássico 'King Kong', tem história de John Gatins e roteiro escrito por Dan Gilroy, Max Borenstein e Derek Connolly. Porém é feito uma releitura da história, pois existe a ideia de juntar a trama de Godzilla com a do King Kong.


O filme tem Tom Hiddleston e Samuel L. Jackson novamente dividindo a telona, respectivamente, como o mercenário barra pesada James Conrad e o militar linha dura Preston Packard.

Mesmo sem a famosa loura dos filmes anteriores, a atriz Brie Larson faz a vez no papel da fotógrafa de guerra (ou como ela prefere dizer antiguerra) Mason Weaver, mas que é tão durona quanto os homens a sua volta. Fugindo assim do esteriótipo da mocinha indefesa, tradicional dos filmes. Valendo lembrar que atualmente a atriz veste o uniforme de ninguém menos que a Capitã Marvel.


Destaque para a trilha sonora que, além das ótimas escolhas de música e cada som, que parece colocados no filme para tornar o protagonista ainda mais gigantesco. Um excelente trabalho de edição sonora, que harmoniza perfeitamente com a edição das imagens.

Visualmente 'Kong: A Ilha da Caveira' também ficou incrível e a experiência de 3D, especialmente se for numa sala IMAX, é imperdível. Porém, vale ressaltar, que isso só garantiu a alta qualidade do filme em HD para TV e Streaming, o qual atualmente pode ser alugado e visto no Looke.


' O filme 'Kong: A Ilha da Caveira' tem cena durante os créditos e outra após que revela a possibilidade do encontro de Kong com Godzilla. Sugerindo uma ligação com a franquia de filmes composta, até o momento, por 'Godzilla' (2014) e ''Godzilla II: Rei dos Monstros'' (2019).

NOTA: Crítica antiga, já publicada em outros veículos, que teve o texto atualizado e republicado por Anny Lucard especialmente para o Alcateia.Com