sexta-feira, 6 de abril de 2012

RPGÊBELDE? - RPG na novela Rebelde denigre a imagem dos jogadores ou é só mimimi?


por Renato Rodrigues
Por várias vezes, em todos esses anos como RPGistas, imaginamos como poderiam ser retratados os jogadores de RPG numa trama de TV nacional (seja novela ou seriado infanto-juvenil). Geralmente acabávamos torcendo para não acontecer pois certamente seria uma merda!Toda vez que uma novela tentou mostrar um grupo específico de pessoas logo apareciam as reclamações: "Não, os góticos não são assim... Não, os wiccanos não são assim... não os (preencha aqui a sua trupe) não são assim..."

Essa semana o Facebook apareceu recheado de piadas com a novelinha Rebelde sobre uns manés lá que se meteram a jogar RPG vestidos de drácula. A imagem vista isoladamente é figuraça e de cara a gente já torce o nariz.



Mas aí eu fui ver um vídeo (chaaato) de 22 minutos mostrando um pedaço da trama em que os "jovens juvenis" se embrenham no mundo maravilhoso do RPG. Se estiver curioso para ver, clique abaixo antes de continuar lendo. Se não tiver saco, continue lendo abaixo.



Pois bem, nos primeiros 5 minutos a coisa não parece tão ruim quanto a galera tava reclamando. Quer dizer, eles são jovens mongos e tem que explicar tim-tim por tim-tim o que nós já sabemos a vida toda. Mas, na boa, tu já tentou explicar RPG para o resto da humanidade? É DESESPERADOR!

Continuei a luta vendo mais 10 minutos. Até aí eles parecem estar jogando uma espécie de gincana, ou como nós chamamos no meio RPGístico, um LIVE. Não é o "RPG raíz", àquele de dadinhos saltitando e fichas na mão em volta de mapas na mesa. Mas também não era nenhum atentado ao RPG!

Fiquei imaginando, então, como ficaria a cena se fosse assim. Tu já parou para assistir os outros jogando RPG? Se você não está inserido na trama é muito sacal. É assim: Fulano, jogue o dado... subtrai 10 pontos de vida. Beltrano, jogue o dado. Nada acontece! Cicrano, veja na sua ficha quantos pontos tem de Força, subtraia do ajuste de Inteligência e some com... PÔ, É MUITO CHATO. Chato, claaaro, se você não está na trama e nem conhece os personagens.

Imagine se isso passasse na TV para um universo de pessoas que NUNCA jogou esse troço. Audiência ZERO, né?

Vamos lá, ainda pode piorar até o fim de vídeo. Vamos ver se alguém esfaqueia alguém ou evoca o capeta na encruzilhada para justificar tamanha comoção no Facebook.

Ahá, aos 17 minutos o "Mestre do jogo" que tava doido para papar uma das meninas (e quem pode culpá-lo?) deu a missão infeliz de todos saírem fantasiados de vampiros para assustar pessoas. Mas ele foi questionado pelos demais que acharam maluquice fazer um papelão desses, então pelo menos existiu um momento de reflexão entre os jogadores retratados ali. E, cá entre nós, nos dias de hoje quem é que vai se assustar com pessoas bonitas de capa preta na rua em plena luz do dia? No máximo esses jovens vão levar porrada de algum bullyng pra deixar de serem nerds bitolados!

Existe sim, vendo o vídeo, um sentimento de vergonha alheia. Ninguém "se vê" como eles. Primeiro porque só falam abobrinha e ninguém quer se ver como um acéfalo. Segundo porque são todos(as) saradões(onas)  e eu não lembro de ter visto tanta gente bonita assim numa mesa de RPG, kkkk...

A história continua nos próximos capítulos, eu NÃO VI AINDA, então PODE SER que a coisa fique escrota como dizem por aí. A Record faz parte de um grupo evangélico e sabemos da rivalidade e pouca informação que esse grupo de empresários tem sobre o verdadeiro Role Playing Game. Mas nesses 20 dolorosos minutos que eu vi a novelinha eu só vislumbrei um bando de gente chata falando chatice. Eles seriam malas jogando pingue-pongue ou corrida de chapinha também.

Talvez piore... Sempre piora! Mas, por enquanto, eu acho que o preconceito não partiu da novela. Partiu dos jogadores que reclamaram sem ter visto as cenas na TV.

12 comentários:

Thiago Tavares (Anarco) disse...

O Alarde da nação rpgística é totalmente entendível. Não é novidade que defenderei o ponto de vista de nós, jogadores.
Há muito tempo a mídia vem atacando sem dó o nosso tão querido RPG, principalmente a religião evangélica (mais especificamente os mais fervorosos.). Com esse clima de apedrejamento é fácil entender todo esse escudo +5 de deflexão levantado pelos rpgistas.
Explicando que falei dos evangélicos só por conta do dono da emissora em questão ser um bispo/pastor/whatever... enfim, até agora não abordaram de tema totalmente errôneo não, salvo algumas excessões que eu me lembre, entre elas, como assim entrou no jogo e não pode sair? Desde quando fazer pegadinha do mallandro com os outros na rua é jogar rpg?

Infelizmente não creio que ficará nessa abordagem morna, meu caro Renato, e quer saber, torço para que pegue fogo e o tema venha a tona mesmo para que possa ser feita de uma vez por todas uma defesa sobre o RPG.

P.S.: O que vai ter de garotinha que curte Rebelde querendo jogar o jogo agora hein...

Renato Rodrigues disse...

Valeu, Thiagão!
Mesmo se não fosse na Record eu ficaria com um pézinho atrás sobre qualquer abordagem ao RPG (embora ache que existam coisas mais sérias por aí pra gente se preocupar).

Eu queria ver mais vídeos da novelinha sobre o tema para continuar o tema, mas não achei no Tube Tube. Se achar posta aí pra gente debater.

Mas não é bom que as garotas que vêem Rebelde apareçam nas mesas de jogo? Pô, eu apoio! kkkk

Sonia Dos SAntos disse...

O QUE É RPG ?

Renato Rodrigues disse...

RPG (Role Playing Game) é um jogo de interpretação onde cada jogador faz um personagem. Geralmente é ambientado numa época medieval (tipo Senhor dos Aneis) mas pode ser em qualquer ambiente que imaginação dos participantes permitir (Vampiros, Lobisomens, Guerra nas Estrelas, etc).

Existem algumas regras e fichas e as jogadas são decididads nos dados(quase como num jogo de tabuleiro)

É como brincar de de "A Caverna do Dragão". Cada semana uma aventura nova.

Luiz Rosa (Avalon Knight) disse...

Pela primeira vez eu vou falar. Sobre isso:

Sempre vai ter alguém falando mal do RPG ou de forma equivocada. Sem um estudo ou conhecimento prévio. .

Eu já vi o RPG passar pelos dois crimes que foi inocentados, mas leva um tempo para limpar o nome.

Mas vamos continuar essa batalha, que vai ser longa, o restante vamos espera o que vai acontecer. Coisa um pouco boba pode vira algo grande.

Franciele Cristina Freire disse...

Rebelde/RBD = México
RebeldeS = Brasil

Desculpa, mas a imagem e a grafia não procedem e eu, como defensora incondicional da cultura mexicana (incluindo novelinhas detonadas no Brasil) preciso comentar que há dois continentes de diferença entre a Anahi e a Lua.
Assim como houve um equívoco na novela brasileira (que eu não acompanho), houve um equívoco nesta postagem ao citar a novela mexicana como se fosse a brasileira.

Quanto ao RPG posto como um joguinho medíocre de adolescentes, realmente, a produção da novelinha brasileira deixou a desejar.

Renato Rodrigues disse...

Ih, tem diferença? Vivendo e aprendendo... Valeu, Fanciele, desculpe a Rebeldia, kkkk

Logo já está corrigida conforme mostrada no site da Rede Record.

Big Lui disse...

Na boa, isso é mimimi sim... o que acontece que o povo tem preconceito com a novela e quer arranjar algum motivo para falar mal dela. Acho que o único erro da novela foi não dizer logo que se trata de LIVE, uma espécie de modalidade de RPG, que é diferente do RPG tradicional.

Além do mais, quem for esperar fidelidade na televisão vai morrer esperando, pois se eu fosse ter um ataque histérico toda vez que vejo como o meu estado a minha região é retradado nas novelas... já deveria está na minha 8ª vida agora.

Vamos ver mais na frente antes de julgar.Pois é percepitivel que a pessoa que fez essa montagem é tão preconcetuosa quanto os roteiristas da novela.

E Franciele, o nome da novela é Rebelde sim, pois "Rebeldes" (com S no final) é só o nome da banda, assim como "RBD" é o nome da banda na versão mexicana. O único erro era o logo (que por sinal, quase não tem diferença), mas o autor já corrigiu.

E Já que mencionou em Anahi, ela é maravilhosa mesmo, hêin? He, he, he...

Big Lui: Rebelde e RBD

Foi o grande motivo para fazer eu assistir a novelinha mexicana no seu início.

Luiz Rosa (Avalon Knight) disse...

Ate que pode ser considerado um live, mas por motivos errado. Que pode conduzir a historia para uma serie de equívocos.

Somente estamos falando das cenas que aconteceu isso da novela, não a sua totalidade. Para falar um termo de live, tem roupa e uma área de jogo. Agora a parte que fala que deve assustar as pessoas, quebra a parte do live. Por causa que essa pessoas estão fora do jogo e não saber o que esta acontecendo.

Segundo deve evitar usa a roupa do live na rua para não usar a atenção. Deve ter um lugar para troca de roupas.

Só pensar um pouco, no meu conhecimento está tentando um situação negativa para o RPG, como sempre fazem.

Também a figura do mestre que não gostei o modo que conduzi que fica igual a uma história que eu li e vi na televisão sobre jogadores de RPGs. Essa parte podem pesquisar a vontade.

Tem forma conduzir a história que não deve ficar pesado o lado do RPG.

Mestre L'Raefah disse...

A reação alérgico-paranoica despertada na comunidade de verdadeiros praticantes do jogo está no fato do "jogo" mostrado não ser RPG e muito menos Live-Action, pois:
1. um jogo do qual não se sai depois de entrar está mais para ARG (Jogo de Realidade Alternativa);
2. nenhum jogo deveria brincar com quem não está (ou ignora que está) participando, pois aí deixa de ser um jogo para se tornar uma brincadeira de mal gosto;
3. num RPG o mestre não "comanda" os jogadores;
4. quando o tal mestre começa a comandar seus jogadores para que cometam crimes como ameaça (assustando transeuntes) ou furto (de um cálice de suco de uva), todos os envolvidos estão cometendo o crime de formação de quadrilha, e a Record está abusando de sua concessão pública de TV (cuja finalidade preferencial deveria ser educativa e informativa) para difamar os verdadeiros praticantes do jogo perante até 10 pontos de audiência (580 mil lares) de uma maioria de público leigo que está recebendo dela sua primeira impressão sobre o jogo.

Saah M. disse...

Se você não gosta tudo bem, mas não precisa chama-los de idiotas. IDIOTA É VOCÊ OTÁRIO (A)!

Renato Rodrigues disse...

Você não leu o texto, né Saah M.? EU DEFENDI REBELDE... "Mas, por enquanto, eu acho que o preconceito não partiu da novela. Partiu dos jogadores que reclamaram sem ter visto as cenas na TV."

Mas você não leu o texto, né? Que pena... que pena...