sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

NOSSO CACHORRO PERFEITO


Nosso Dia de Reis começou com uma despedida dolorosa (como são todas as despedidas). Hoje, nossa Cacau partiu desse mundo e voltou pra casa, aquele lugar azul e tranquilo onde nos encontraremos um dia. Tem lágrimas demais nos meus olhos hoje deixando tudo muito cinza, então serei breve. Cacau foi um cachorro estranho. Esquisito. Andava de lado. Tinha um rabo ruim. Pelo de arame. Arrotava na nossa cara. Soltava pum e se assustava com o barulho. Bagunçava a minha cama. Roubava comida. Comida tudo. Tudo mesmo! Não acertava a porta. Tinha unhas de harpia. E tinha medo de cachorro. Não gostava de abraço, mas gostava de um carinho. Dito isso, quero dizer que você foi o melhor cachorro do mundo, Cacau. Ela ia fazer 14 anos e morreu de repente, no veterinário. Teve tudo que pudemos oferecer e ela nos deu sua companhia estranha e incrivelmente divertida. Então, também quero dizer “Obrigada, Cacau! Você tornou nossas vidas muito divertidas e muito mais coloridas!”. Cacau veio da Suipa. Era o último filhote não adotado de uma feira de adoção onde fui fazer uma matéria. Ela me acompanhava com os olhos quando eu passava, mesmo quando crianças a pegavam no colo. Parecia tão quietinha e calma. Não resisti e peguei. Renato a amou a primeira vista. Nós a amamos a primeira vista. Ela já estava morando com meu pai há muitos anos, pois depois que descobriu o advento do quintal (e das mordomias que só avós dão), nunca mais quis saber de voltar para um apartamento.


Os lobos da Alcateia conhecem a Cacau desde pequenininha, quando ela usava uma roupinha amarela, fazia xixi no mapa do RPG que estávamos jogando e soltava suas bombas químicas no seu jornalzinho (minha única fonte de informação do mundo lá fora, gentilmente apelidado de “O Jornal da Cacau”. A Cacau era tão carismática que foi o primeiro cachorro a usar fantasia no Carnaval em Araruama! Todo mundo queria tirar foto com ela. Uma criança se surpreendeu: “Olha, mãe! Um vira-lata vestido!”. Cacau nunca enganou suas raízes. Era vira-lata, sim! Ninguém nunca ia perguntar (e nunca perguntou) se ela era mistura de alguma coisa, ou de que raça ela era, porque era pra lá de evidente. Cacau era o supra-sumo dos vira-latas, a essência mais pura da vira-latisse.
Mas mesmo cachorros perfeitos como a Cacau, que tinha todos os defeitos do mundo, precisam voltar pra casa. Como nós. O tempo deles é diferente aqui na terra porque eles aprendem muito mais rápido do que nós o que é realmente importante: amor, fidelidade, simplicidade, lealdade, ser feliz de verdade em qualquer idade (porque nós sabemos que cachorros são nenéns que não crescem nunca).
Nosso tempo juntas acabou, ao menos nesse plano. Espero que um dia nós possamos nos encontrar de novo, e que até lá, nossas lágrimas aqui em casa já tenham secado. Até lá, ficam as lembranças, a saudade e, é claro, as lágrimas.

 
Amamos você, Cacau. Hoje e sempre.

8 comentários:

Helena disse...

OI Eddie e Renato, meus melhores sentimentos "caninos" pra vocês.

Enquanto lia a história de Cacau, pensei...ainda bem que uma cachorrinha tão "estranha" foi morar com a Eddie, pois poucos entenderiam a beleza e a pureza e seus sentimentos.

Cacau teve uma vida longa e feliz e fez sua passagem, de uma forma tranquila, isso é uma dádiva!

Beijos no coração.

Luciana Werneck disse...

Cacau vai deixar saudades... muitas.
Fiquei triste também. Mas é só a dor da separação. Ela teve uma vida ótima. Foi amada e brincou bastante. E agora está feliz no céu dos cães, esperando seus donos queridos para mais brincadeiras.
Quando eu partir, vou lá dar mais um afago nesta cachorrinha que sempre morou no meu coração.

Ana Carolina Paiva dos Santos disse...

Ficou o mesmo sentimento quando a minha Bila velha partiu. Ela era muito maternal,gostava de assistir programas em japonês e adorava "cantar" naqueles karaokês,principalmente se era algum senhorzinho japonês cantando.Odeio quando pessoas vem me repreender por falar que a encontrarei do outro lado porque sei que isso vai acontecer! Cães são seres puros e arrebatamento por arrebatamento eles merecem muito mais do que qualquer um o seu lugar especial! Saudações à Cacau apesar de não tê-la conhecido pessoalmente! Luz!

GasparHilton disse...

Me emocionei junto com vcs Eddie e Renato, lendo o post!

Fernanda disse...

Eddie e Renato, meus sentimentos pela perda da Cacau!
Mas ela foi par ao céu virar estrelinha... quando sentirem saudade, olhe para a noite estrelada e sintam-se abraçados.
Beijos no coração de vocês.

adriana disse...

Oi Eddie e Renato,quando li sobre cacau meu coração apertou pois tenho uma cadelinha com 14anos,cega sem dentes mas e tudo pra mim ela sempre esteve ao meu lado em todos os momentos de minha vida (bons e ruins ) sempre falo em casa que ela e minha alma gemea , vejo a luta dela para continuar entre nos e nem consigo imaginar a hora em que ela se for.Meus sentimentos de coração bjs !!!

Eddie disse...

Obrigada de coração a todos. Eu sei que a Cacau deixa saudades como toda bênção e presente divino, mas sei também que ela não deixou de existir. Ela só sumiu na curva.

Patrícia Balan disse...

O céu ganhou uma excelente amiguinha. E agora ela não tem mais epilepsia, erra portas de nuvens fofinhas que não machucam o focinho ao contrário das portas daqui e vai ser um acréscimo aos carneirinhos que pulam cerca para as crianças dormirem. Quem ouvir a criancinha rir durante o sono, já sabe que a cacau se estabacou na cerca.