quinta-feira, 4 de julho de 2013

GUERRA MUNDIAL Z


por Eddie Van Feu
Taí uma excelente combinação! Os homens ficam felizes em ver um filme de zumbis sem que suas namoradas malas reclamem, pois Brad Pitt está lá para distraí-las. Como uma grande fã de filmes de terror, admito que a criatura que eu mais temo é justamente o zumbi. Depois desse filme, meu pavor de zumbis só aumentou!

Tramas de filmes de zumbis não costumam ser muito complexas. Geralmente, você tem um pequeno grupo de pessoas infelizes que certamente vai morrer até o fim do filme. Resta saber como e em que ordem. Com o tempo, os zumbis foram repaginados. Alguns filmes inovaram o velho arrastar de pés e transformaram os zumbis em pessoas tentando pegar o metrô numa grande metrópole. Criaturas vorazes e sem educação que comerão você, se você não correr mais que eles.


Em Guerra Mundial, a coisa começa de repente e não tem explicação. Como toda praga, vírus, ou hecatombe natural, os zumbis simplesmente aparecem e saem dizimando a população que se encontra totalmente despreparada para um ataque de zumbis. O roubo desse filme é que a transformação depois de uma mordida é quase que imediata, o que torna tudo ainda mais difícil. O roteiro é mais surpreendente do que se poderia esperar, mas não é nenhuma maravilha. O fato dele já ir além de ser sobre um grupo de pessoas que simplesmente corre pela própria vida já é um ganho.


Os zumbis em bando são digitais, mas me assustaram do mesmo jeito. As cenas de ação são ágeis e dinâmicas e não existe um “grupo” específico. As pessoas vêm, vão, ficam, morrem, viram zumbis... A gente acaba não se apegando muito, porque não dá tempo. Na nossa cabeça, desde que o Brad Pitt consiga, tá tudo bem.

Existe uma missão para nosso herói Gerry, missão esta que ele deve cumprir para salvar sua família – ato pouco nobre, já que todas as famílias do mundo estão correndo o mesmíssimo perigo. Ele busca o ponto zero, o lugar onde tudo começou, o primeiro infectado, pois sabendo isso há uma chance de conseguir elaborar uma cura, ou uma vacina. É uma atitude meio inócua, mas desesperada, já que nada está detendo a fúria dos mortos-vivos.

A solução para o problema aparentemente insolúvel é criativa e, sinceramente, inteligente. Nem todos vão concordar, mas... É um filme de zumbis! Deixe o cérebro de lado e divirta-se!

Guerra Mundial Z




5 comentários:

Jessica Silva disse...

Eddie estou doida para assistir...adoro filmes assim, ainda mais com o Brad Pitt!!!

Jessica Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricky Nobre disse...

Bom saber que o final novo funcionou. Quando o filme ficou pronto, ele foi exibido para a equipe e no final foi só um silêncio constrangedor. Foi cogitado abandonar o filme, mas com 220 milhões já gastos, preferiram gastar mais e refilmar os 40 minutos finais. O roteiro, que já não tinha mais nada a ver com o livro original, ficou mais nada a ver ainda. Mas parece que salvou o investimento.

Eddie disse...

Cara!!! Que curiosidade de saber como era a versão anterior!!!!! Ricky, descubra isso e compartilhe! A gente sabe que você é da Cia e sabe tudo de cinema!

Ricky Nobre disse...

Ok, pedi uns grampos esprestados pro Obama!