quarta-feira, 1 de junho de 2016

LAMENTO, ARROW, MAS... PRECISAMOS CONVERSAR...

por Eddie Van Feu

É assim que a gente começa um papo pra terminar o relacionamento, então você já sabe para onde eu estou indo. Comecei a acompanhar Arrow e fiquei muito animada. Nunca li os quadrinhos, mas a história era interessante, os atores eram legais e Stephen Amell é uma gracinha. Mas tem um limite até onde eu posso ficar com uma série porque o ator é gatinho.
Mas Arrow era bom! A primeira temporada foi realmente muito boa. Contava com um ótimo vilão (na pele do ótimo John Barrowman) e tinha uma pegada de vingança, um herói com um propósito, uma família picareta complicada e bandidos tangíveis (ladrões, corruptos, políticos, etc...). Também conhecíamos o passado do playboy Oliver Queen, tanto antes do naufrágio como durante o tempo em que ele ficou sumido, vivendo provações numa ilha.

Arrow nos bons tempos...

A segunda temporada também foi boa, mas já apontava problemas sérios. Vilões excelentes como Irmão Sangue e o Exterminador foram desperdiçados, não pelos atores, que eram bons (Manu Bennet já mostrou a que veio em Spartacus, como Crixus), mas pela total falta de estrutura dada a eles. Os vilões eram tolos, malucos, sem sentido e mal escritos. Ainda regida pela boa vontade, eu insisti.

A terceira temporada foi de altos e baixos. Percebendo que o único vilão decente que tinham criado era Malcom Merlin, resolveram trazê-lo de volta e a entrada do Átomo (Brandon Routh, provando que atua muito mais do que o mala do Brian Singer permitiu em Superman - O Retorno) deu um frescor necessário à série.

Mas os problemas ainda estavam lá! A Canário Negro, Laurel Lance, é interpretada pela fraquíssima Katie Cassidy, O roteiro era frouxo e cheio de furos. O romance entre Oliver e Felicity Smoak se tornou mais complicado do que deveria, mas ainda estava divertido e a gente relevava o roteiro escrito por uma criança de 10 anos de idade.



Agora, a quarta temporada... Jesus, foi ladeira abaixo! Nada se salvava! O roteiro piorou horrores, os personagens estavam vazios, e quando resolveram tirar a pior atriz da série, era tarde demais. Até a Felicity ficou chata! Como conseguiram isso???

Dos pontos positivos, caso você queira ver, temos ótimas lutas, elenco simpático e boas cenas de ação. Os pontos negativos são um roteiro debilóide, onde os eventos mágicos não fazem o menor sentido e parecem retirados de uma peça infantil de terceira. Os furos são enooormes, não dá mais para ignorar. O vilão da vez, Damian Dhark (interpretado pelo muito bom Neal McNough) simplesmente não faz sentido e às vezes dá a impressão de que os personagens são bonequinhos numa brincadeira de crianças, onde nada precisa realmente fazer sentido. Os personagens que poderiam ser aprofundados ficam cada vez mais ralos e tolos, até se tornarem chatos. Os flashbacks da ilha, que já estavam perdidos na terceira temporada), se tornam quase irrelevantes, compartilhando a falta de sentido no roteiro e transformando-se num bom momento para ir ao banheiro.

Lista das pessoas que sabem que Oliver Queen é o Arqueiro na primeira temporada e na terceira...

A quarta temporada foi medíocre. Foi tipo O Rapto das Abobrinhas. Se você tem 6 anos, vai se divertir. Se for mais velho que isso... Vai sofrer um pouco. O último episódio foi repeteco de temporadas anteriores. As soluções foram tão sem sentido quanto os problemas.

Então, lamento, Arrow, mas estou parando por aqui! Tem muita série no mundo, desejo sorte e espero que demitam a equipe de roteiristas inteira e contratem outra. Se é possível dar uma virada? Foi possível com a Shield! Mas requer mudança radical e cortes sem piedade. Será que alguém lá na produção vai ter essa coragem? Ou, pior, será que vão ter essa chance?

Se você quer ver, veja até a terceira temporada e pare por aí.



4 comentários:

Mayara Oliveira disse...

Realmente foi caindo, e essa última foi a pior, fico muito triste pois adorava a serie, e pelo que parece não tem mais salvação.

Gabriel Maia disse...

Eu nem comecei....admito que por preconceito com o personagem mesmo, porque sempre achei o Arqueiro Verde um chato, do tipo mala sem alça mesmo. Era no máximo uma tentativa de um Batman de quinta.
Eu tinha ma animado com Flash, mas foi só ver o começo e desanimei pela falta de criatividade no roteiro que mostrava uma origem muuuuuuuuuuito parecida (até demais) com o desenho do Super shock.

Eddie disse...

Gabriel, eu não dei chance para o Flash porque achei muito infantil, mas você ia gostar do Arrow na primeira e segunda temporadas,sim. Foi uma boa viagem. Eu devia ter parado na terceira!

Rodrigo Quintela disse...

Concordo com todos os pontos e dropei a série no ep 16 da quarta temporada. Péssimo!