quinta-feira, 12 de junho de 2014

TOP 5: LEMBRANÇAS DE COPAS MAIS FELIZES

por Renato Rodrigues
Nós do ALCATEIA cagamos pro futebol em todas a sua formas, mas também somos gente e sucumbimos a paixão nacional em alguma época de nossas vidas. Eu já pintei mascote no chão do condomínio, usei camisa amarela e toquei corneta até o dia em que o Ronaldo Gordômeno amarelou nas finais da Copa de 98... depois daquela palhaçada a graça da Copa acabou acabou pra mim. Pro dia não passar em branco (e pra eu preencher minha cota semanal de postagens inúteis), lá vai uma TOP 5 de lembranças de Copas do Mundo.

ESPANHA 82 - A COPA INESQUECÍVEL

Para a minha geração foi a primeira Copa que pudemos acompanhar de verdade sem mijar na fralda. E entramos no clima, tudo era festa... Era o dream team com Zico, Sócrates, Junior, Falcão... torcemos, cantamos e choramos quando fomos eliminados. Nunca haverá uma Copa como a de 82.



NARANJITO
Num tempo mais inocente em que um mascote frutinha passava desapercebido às gozações, Naranjito (mascote da Copa de 82) fez muito sucesso virando desenho animado, chaveiro, boneco e copinho de suco.



PACHECO O CAMISA 12


Quase dois anos antes da Copa de 82, a Gillette do Brasil lançou uma campanha trazendo um personagem, bem brasileiro, que representasse uma unanimidade. Nasceu, então, o Pacheco, camisa 12, torcedor fanático típico da seleção com direito a marchinha de carnaval e animação em comerciais (pro telespectador básico cabeça oca poder entender direitinho o que era, kkk). Eu desenhei muito o Pacheco na época e até pintei um enorme na entrada do meu prédio. 


A coisa ficou tão séria que a Gillete fez um contrato com a CBF, onde o Pacheco (representado por um funcionário da empresa que tinha o jeitão do personagem) participaria de toda a preparação da seleção e, inclusive, viajaria junto com a delegação. 


ARAKEN O SHOWMAN

Na Copa de 86 a Globo adotou Araken, o showman. Interpretado pelo publicitário Barrinhos, Araken fazia parte de uma campanha de fim de ano que deu tão certo que a emissora o usou para parodiar a vitória sobre os times durante o mundial. A cada jogo, um esquete ridicularizava o país perdedor... e funcionou até o Brasil ser eliminado. A partir daí ele, coitado, virou o azarão levando a culpa pela derrota. Brasileiro é um bicho rancoroso pacas. 
 


TETRA TÁ NA REDE
A Copa de 94 teve um significado muito espcial pra mim também. Foi a primeira Copa onde eu trabalhei no meio (Rádio Transamérica) e pude ver os jogos em telões durante os eventos que a rádio promovia. A Rede Transamérica chegou a mandar uma equipe para transmitir lá dos EUA os jogos com muito humor e as imitações dos jogadores feita pelo Ciro Jatene.


E aí veio a Copa de 98 onde o Ronaldo amarelou!!!! E foi o fim...



ATUALIZADO

Ah, pra não ficar só nas velharias, lá vai a MELHOR coisa da Copa de 2010:

Um comentário:

Mari disse...

Ha ha ha eu também não estou nem aí pro futebol em todas as suas formas (o que não significa que eu não gosto do Brasil, coitadinho...). O povo tava aos berros na frente da TV e eu calmamente ouvindo uma musiquinha e jogando Donkey Kong no computador...kkkk